domingo, 28 de julho de 2013

Sem roteiro, rota ou rumo

Uma vez uma pessoa muito sábia tentou me ensinar que nem tudo na vida tem que estar programado, planejado. As coisas devem seguir um curso natural, acontecerem. Eu achei a maior bobagem, afinal não parece muito mais seguro saber exatamente onde, como e quando vamos?
Pois é, só parece. Pense: é mais seguro estar preparado para qualquer imprevisto, pois imprevistos fazem parte de não se ter roteiro, ou é mais seguro ser pego de surpresa quando seu plano não dá certo?
É claro que tem coisas que precisamos planejar, mas nem tudo. As coisas, mesmo que planejadas, não saem exatamente como queremos e isso é completamente normal. A vida é assim.
Somos tão inseguros com a vida, afinal não sabemos o que nos espera no próximo segundo, que temos a tendência de querermos planejar tudo para que tenhamos uma falsa sensação de segurança.
A vida é uma eterna dúvida e anseio. A vida anda e a gente não faz ideia do que nos espera. Parece apavorante, mas acho que é o único motivo de estarmos vivos: procurar sempre a resposta que nunca é resolvida, esperar pela próxima surpresa da vida.
A vida prega peças, mostra verdades, nos enche de dúvidas, mas esta é a grande graça da vida, afinal se soubéssemos o fim, não teria graça viver o agora. E se quisermos sempre adivinhar e planejar o fim, vamos acabar nos decepcionando.
É por isso que devemos viver mais sem roteiro, rota ou rumo. Devemos nos deixar levar mais pelos fatos e pelas coisas que nos acontecem e não tentar fazer com que elas sejam sempre exatamente como queremos, isso é triste, pois acabamos não experimentando nada novo de verdade, tudo acaba sendo como queremos, então não é como realmente é.
Enfim, aproveitar cada segundo é o que basta. Planeje o próximo segundo, a próxima semana, o próximo mês, mas não fique tão obstinado que os seus planos dêem certo. Aproveite como vier.

Um comentário:

  1. Ótimo texto. Parabéns pela mudança de pensamento.

    ResponderExcluir